sábado, 12 de outubro de 2019

US M79 Grenade Launcher 'Thumper' Gunner in Vietnam - Figura 1:16 scale - parte 2


Pintura


Pintando o Capacete/Camu/Detalhes e o Rosto











Pintando o Corpo








Whash no Corpo do Soldado







Subida de Luzes





Lançador de Granada



No próximo post a finalização dos detalhes da pintura no Soldado.

Forte Abraço!

Osmarjun

sábado, 5 de outubro de 2019

US M79 Grenade Launcher 'Thumper' Gunner in Vietnam - Figura 1:16 scale - parte 1



O Kit



Peças



peças limpas


Iniciando a Montagem


 fixando as mãos


utilizando  a Kombifiler

 adicionando outros detalhes







Figura no Primer








No próximo post a sequência da montagem com o início da pintura
Forte Abraço!
Osmarjun

sábado, 28 de setembro de 2019

US M79 Grenade Launcher 'Thumper' Gunner in Vietnam


Breve Histórico

O Lançador de Granadas M79 é um armamento de ação única, disparado apoiado ao ombro, que lança uma granada de 40 × 46 mm, usando o que o Exército dos EUA chama de Sistema de Propulsão Alto-Baixo para manter baixas as forças de recuo e apareceu pela primeira vez durante a Guerra do Vietnã. Por causa de seu relatório distinto, ganhou os apelidos de "Thumper", "Thump-Gun", "Bloop Tube", "Big Ed", "Elephant Gun" e "Blooper" entre os soldados americanos e "Can Cannon" em referência ao tamanho da granada; as unidades australianas o chamavam de "Wombat Gun". O M79 pode disparar uma ampla variedade de cartuchos de 40 mm, incluindo explosivos, antipessoal, fumaça, chumbo, flechette (projéteis de aço pontiagudo com cauda abaulada para vôo estável) e iluminação. Embora mais tarde tenha sido em grande parte substituído pelo M203, o M79 permaneceu em serviço em muitas unidades em todo o mundo em funções de nicho.


O M79 foi o resultado do Projeto Niblick do Exército dos EUA, uma tentativa de aumentar o poder de fogo do soldado de infantaria, com um projétil explosivo mais preciso, com alcance maior do que as granadas de espingarda, mas mais portátil. O Projeto Niblick criou a granada de 40 x 46 mm, mas não conseguiu criar um lançador satisfatório que pudesse disparar mais do que um único tiro. Um dos lançadores da Springfield Armoury foi a "gaita" de três tiros T148 (que não deve ser confundida com a mais recente, XB148) que viu uma produção e campo limitados no Vietnã. 


Em 1961, os primeiros lançadores de granadas M79 foram entregues ao Exército dos EUA. Devido à sua facilidade de uso, confiabilidade e poder de fogo, o M79 tornou-se popular entre os soldados americanos, que o apelidaram de "artilharia do líder de pelotão". O M79 viu o combate na Guerra do Vietnã começando nos primeiros dias, quando os granadeiros designados para as principais divisões do Exército chegaram pela primeira vez para assistir ao combate no Vietnã em 1965, incluindo a 1ª Divisão de Cavalaria, a 1ª Divisão de Infantaria, a 101ª Divisão. Recarregar após cada tiro significava uma baixa taxa de tiro e uma incapacidade de manter um volume constante de tiro durante um tiroteio. Isso levou a Marinha a desenvolver o “China Lake Grenade Launcher”, que foi produzido para as equipes SEAL implantadas. Para situações próximas, o alcance mínimo de armamento ficava no raio de explosão, isso significava que um granadeiro tinha que usar seu calibre .45. pistola ou fogo e esperar que a granada tivesse agido como uma bala gigante e lenta. Granadas especiais para combate próximo foram criadas para compensar, embora um soldado nem sempre fosse capaz de carregá-lo no calor da batalha. Além disso, seu tamanho significava que um granadeiro armado com o M79 não podia carregar um rifle, tendo apenas uma arma para usar em um tiroteio depois de gastar suas granadas, embora alguns granadeiros tenham optado por carregar um rifle M16. Os lançadores de granadas underbarrel, como o XM148 e o M203, ambos projetados como acessórios para o rifle M16, foram desenvolvidos durante a Guerra do Vietnã, permitindo que o granadeiro também funcionasse como atirador. O XM148 foi atormentado por problemas e o projeto foi abandonado. No entanto, o M203 foi um sucesso e foi padronizado em 1969; havia substituído o M79 no final da guerra, embora os M79s ainda fossem úteis.



Alguns SEALs da Marinha dos EUA e Forças Especiais do Exército no Iraque foram vistos usando o M79 nos últimos anos, devido à sua maior precisão e alcance em comparação com o M203 (350m efetivo versus 150 m efetivo no M203). O M79 teve notável uso limitado durante a Operação Iraqi Freedom, como na liberação de IEDs. O lançador de granadas também vê o uso continuado como uma ferramenta específica da missão com tripulantes de embarcações de combate em guerra especial.
Embora não sejam fabricantes do M79, a Milcor e Denel Mechem da África do Sul refabricam os lançadores de granadas M-79 com padrões mais modernos. Eles substituem a mira por uma óptica e substituem o material de madeira por um material R-4 / R-5 modificado.



Operação

O M79 é fácil de operar. Para carregar, o granadeiro empurra a trava de bloqueio do barril no grupo receptor para a direita. A gravidade puxará o cano para baixo, abrindo a ação e expondo a culatra. O martelo é engatilhado quando a culatra é aberta. Uma rodada então pode ser carregada. A ação de interrupção deve ser fechada manualmente. Fechar a culatra fará com que a arma estará preparada para o diparo.

Munição

Muitos tipos diferentes de munição foram produzidos para o M79 ( posteriormente para o M203). Fora as de fumaça e iluminação, três outros tipos principais apareceram: rxplosivo de controle de multidões, de curta distância e não letal.

Explosivo

As granadas M406 de 40 mm HE (altamente explosivas) disparadas do M79 viajam a uma velocidade de focinho de 75 metros por segundo. O M406 continha explosivo suficiente para produzir mais de 300 fragmentos que viajam a 1.524 metros por segundo em um raio letal de 5 metros. Esta rodada incorporou um recurso de segurança de ativação de giro que impede a granada de armar enquanto ainda está ao alcance do atirador; ele se arma depois de percorrer uma distância de cerca de 14 a 27 metros. A rodada não armaria à queima-roupa e normalmente não tinha energia cinética suficiente para matar, embora às vezes penetrasse no abdômen.


Queima-roupa


Para combates a curta distância, foram desenvolvidos dois estilos de rounds M79. O primeiro foi uma rodada de flechette ou Bee Hive (assim chamada pelo som que as flechettes faziam durante o vôo) que dispararam 45 flechettes de aço de 10 grãos. Flechettes provou ser ineficaz porque muitas vezes não atingiam o ponto inicial e penetravam. Em vez disso, batiam de lado e ricocheteavam. Por volta de 1966, isso foi substituído pela rodada de tiro M576. Contendo vinte pelotas de metal de 24 grãos (M576E1) ou vinte e sete pelotas de metal de 24 grãos (M576E2) podia ser devastadora a curta distância. No entanto, à medida que o alcance aumentava, o tiro se espalhava tão rapidamente que era ineficaz. O M576E2, apesar do maior número de tiros, foi menos eficaz no alcance do que o M576E1, porque seu tiro se espalhava muito mais rapidamente e poderia errar.

Não letal

O M79 tem sido amplamente utilizado também para fins de controle de multidões, onde é desejável ter uma arma dedicada exclusivamente à força não letal. As três rodadas menos letais comuns são o gás M651 CS, a granada de esponja M1006 e as rodadas de dispersão de multidões M1029.
Fonte: 
-.-.-.-.-.-.-.-.-

No próximo post a identificação do trabalho
Forte Abraço!
Osmarjun

sábado, 21 de setembro de 2019

Vinheta Mina R - 1:35 scale - Trabalho Finalizado



Abaixo a sequência de fotos da Vinheta Mina R








Em breve novos trabalhos e histórias...
Forte Abraço!
Osmarjun