domingo, 13 de agosto de 2017

Sd Kfz 4 Panzerwerfer Eastern Front - winter - 1944 - parte 5


Esteira Link by Link
Depois de montar os pequenos conjuntos de pares para fixá-los
nos rodízios iniciei o trabalho. É preciso muita atenção e paciência:


começando por baixo

aumentando o segmento


parte baixa terminada

contornando em direção a parte de cima

finalizada a aplicação

esteira adicionadas

No Próximo post novas atualizações...
Forte Abraço!
Osmarjun

sábado, 5 de agosto de 2017

Sd Kfz 4 Panzerwerfer Eastern Front - winter - 1944 - parte 4


Montagem das Esteiras LBL (Link by Link)

A montagem de Esteiras/Lagartas de Blindados como são conhecidas denotam alguma atenção especial. Fabricantes costumam nas diversas escalas variarem a forma de composição e o material plástico para ser aplicado ao modelo. Para nós modelistas não existem novidades quanto a isso, mas para os leigos que acompanham nossas montagens faz-se necessário um pequeno esclarecimento.
Os dois tipos mais usados pelos fabricantes são estas abaixo:

 plásticas, já unidas bastando apenas assentá-las com
cuidado e juntando as pontas, porém demandam
algum trabalho para oferecer uma maior realidade
quando finalizamos o trabalho. Não é incomum vermos modelos
que apresentam algumas falhas

Existem as mais "chatinhas" de manusear, as famosas LBL, ou seja Link by Link

São formadas por seções individuais que devem ser unidas uma a uma até formarem um todo.
A imagem abaixo deixa mais claro o que estou dizendo

o manuseio delas na escala 1:35 são um pouco mais complicadas

De toda forma o trabalho precisa seguir, eu já montei modelos usando as esteiras plásticas, nunca as LBL, e devo confessar aqui ter ouvido de muitos modelistas opiniões diversas, mas a maioria deles dizem que é a forma mais trabalhosa. Recorri então ao meu Amigo Modelista e Grande Mestre de Anápolis Marcos Panzerserra, experiente ao extremo para alguns conselhos quanto a fixação das mesmas

No manual existem alguns conselhos do fabricante quanto a forma de compor o conjunto, sendo que alguns pequenos segmentos devem ser montados antes da junção completa do todo
Vamos ao trabalho então:

orientação do fabricante

montagem do primeiro conjunto

os três conjuntos menores montados
Aqui pode-se notar uma diferença de cores, mas foi 
porque eu resolvi aplicar uma primeira demão de Gun Metal 
X 10 da Tamiya para experimentar
 
Ao final da montagem ela será 
igualada nas cores

Enfim, as coisas continuam em andamento...
No próximo post, mais novidades, até lá!
Forte Abraço
Osmarjun

domingo, 30 de julho de 2017

Sd Kfz 4 Panzerwerfer Eastern Front - winter - 1944 - parte 3


Iniciando a Montagem do Chassis


 testando encaixe do motor


 pintura do motor



mais um teste de encaixe do motor já pintado

motor assentado

cano do escapamento fixado

 pintura das rodas e rodeiros das esteiras

montagem dos rodeiros nas molas de suspensão


conjunto do chassis completamente montado e fixado


Próximo passo será a "deliciosa" montagem das esteiras no sistema
LBL (Link by Link) 

Até a próxima atualização...
Forte Abraço!
Osmarjun

sábado, 22 de julho de 2017

Sd Kfz 4 Panzerwerfer Eastern Front - winter - 1944 - parte 2


Detalhes da Montagem


Kit

excelente kit da Tamiya

 Manual de Instruções

 bem elucidativo


 Decais



Peças

esteira link by link
figuras e munição



Escolha da CAMO

Existem algumas opções que ainda serão analisadas durante 
o período de montagem do kit
 

No próximo post o início do trabalho.
Até lá!
Forte Abraço
Osmarjun

sábado, 15 de julho de 2017

Sd Kfz 4 Panzerwerfer Eastern Front - winter - 1944 - parte 1


Sd Kfz 4 Panzerwerfer Eastern Front - winter 1944


Breve Histórico

O Panzerwerfer alemão é um dos dois tipos diferentes de lançadores de foguetes múltiplos semi-rastreados empregados pela Alemanha nazista durante a Segunda Guerra Mundial. Os dois veículos de artilharia autopropulsados ​​são o Panzerwerfer 42 de 15 cm no Selbstfahrlafette Sd.Kfz.4 / 1 (baseado no Opel Maultier, ou "mula", meia trilha) e 15 cm Panzerwerfer 42 auf Schwerer Wehrmachtsschlepper (ou Panzerwerfer auf SWS).
O Panzerwerfer 42 auf Maultier, Sd.Kfz. 4/1, entrou em produção em abril de 1943 e foi produzido até março de 1945. Hitler pediu a produção do veículo em janeiro de 1942 e o veículo viu seus primeiros testes na Frente Oriental no Outono de 1943. A Opel era o principal Fabricante, produzindo a maioria dos componentes, incluindo o motor Adam Opel de 6,6 litros e 6 cilindros, que tinha 68 cavalos de potência e uma capacidade de combustível de 80 litros. Ao longo dos três anos que foram produzidos 300 Panzerwerfers e 289 de sua variante, a Munitionskraftwagen.
 

Campanha na Rússia
 O Panzerwerfer 42 auf Maultier foi usado para barragens de foguetes de escala maior contra posições de resistência russa, onde um grande bombardeio de uma grande área seria mais eficaz do que um fogo de artilharia mais preciso. Os foguetes do Panzerwerfer cobriram áreas muito maiores e adicionaram mais elementos psicológicos à luta: a quantidade de barulho, fumaça, estilhaços e detritos voadores à medida que atingiam e explodiam era considerável. O uso extensivo na Frente Oriental mostrou que esta arma poderia ser empregada efetivamente na Frente Ocidental também. A arma foi finalmente introduzida em todo o exército alemão em 14 de maio de 1944, na França.

Campanha na França
 Os Aliados do Oeste entraram em ação contra o Panzerwerfer depois do Dia D, mas a inteligência americana antes do D-Day já havia apontado para o uso de foguetes que a Wehrmacht Alemã se utilizava através do Nebelwerfer e o quanto eles estavam despreparados para os efeitos de um lançador de foguete móvel, blindado, camuflado e altamente destrutivo montado em uma metade - chassi de lagarta. Os britânicos e os canadenses foram os primeiros dos aliados ocidentais a ver os foguetes alemães em ação contra as concentrações de tropas e as posições aliadas. A 7ª Brigada Werfer foi enviada para Normandia de Beauvais depois do Dia D, e em 10 de junho foi à Falaise. No dia seguinte, a unidade estava a cerca de 10 quilômetros de Caen. A unidade fazia parte do ataque na Ponte Orne, que era uma posição britânica sobre o rio Orne. O 84º Regimento da brigada, formado pelos 83º e 84º Regimentos, tinha quatorze Panzerwerfers prontos para o combate, e o 83º tinha aproximadamente o mesmo número de veículos. Algumas outras unidades de Werfer eram o 101º SS Werfer Abteilung, o 101º Regimento Stellungs-Werfer e o  102º SS Werfer Abteilung, que faziam parte da 2ª Divisão SS Panzer Das Reich. A 7ª Brigada Werfer disparou 8 mil toneladas de munição, principalmente no monte 112 (durante a Operação Júpiter) em apoio à sua recaptura pelos Panzers em 30 de junho. Os britânicos foram os mais atacados por esses foguetes Panzerwerfers na Normandia, mas os Nebelwerfers de 15 cm foram usados  ​​também em grande número contra tropas americanas e canadenses ao longo do verão de 1944.
 


Ardennas e Berlim

A Battle of the Bulge viu o uso intensivo de foguetes blindados alemães. As salvas mais concentradas e massas foram usadas na região das Ardennas dna Bélgica em 1944 durante as semanas da ofensiva alemã. Panzerwerfers tiveram um uso extensivo entre abril e maio de 1945, quando os russos avançavam rapidamente em Berlim e as forças alemãs empregavam artilharia de foguete em um modo defensivo. Os lançadores de foguetes foram usados ​​em grande número defendendo posições dentro da Alemanha e perto de Berlim, enquanto os russos avançavam do leste e os americanos do oeste. 


 Especificações
O Panzerwerfer 42 auf Maultier pesava 7.1 toneladas, tinha seis metros de comprimento, dois metros de largura e quase três metros de altura. Era capaz de alcançar velocidades de até 40 km / h. Um desses veículos com lagartas geralmente carregava um sistema de lançamento Nebelwerfer 41, que foi especialmente projetado para ser montado no Panzerwerfer motorizado com motor Opel. Os engenheiros alemães projetaram este sistema por causa das duras trilhas de fumaça deixadas pelas baterias Nebelwerfer, o que exigia uma peça de artilharia autopropulsada para rápida deslocação após o disparo. O sistema continha 10 tubos de mísseis e geralmente transportava 20 projéteis, o suficiente para o veículo disparar duas salvas cheias. O alcance efetivo dos foguetes de um Panzerwerfer era de cerca de 4.000 a 6.500 metros e o alcance máximo era menor que 7.000 metros.
Embora tivesse como objetivo fornecer apoio contra fogo e funcionar bem atrás do ponto de contato, alguns Panzerwerfers também tinham uma metralhadora montada acima da cabine para proteção contra ataques de infantaria. 


Reputação
Conhecidos como o "Mimi Gritando" pelos soldados aliados, pelo ruído distintivo que os foguetes faziam quando disparados, era menos preciso do que uma peça de artilharia dedicada, mas sua capacidade de saturar uma área com fogo e seus efeitos psicológicos na infantaria tornaram-no um bem valioso.


fontes:

Wikipedia

Tank Encyclopedia


No próximo post os detalhes técnicos da montagem
Até lá.
Forte Abraço!
Osmarjun

domingo, 9 de julho de 2017

In the Vietnan's Jungle - Vinheta - 1/35 scale - Final

In the Vietnan's Jungle - Vinheta - 1/35 scale

Trabalho Finalizado
 
 Espero que tenham apreciado.
Em muito breve um novo projeto será postado...
Forte Abraço!
Osmarjun